Noticias

  • EM ENCONTRO COM PRESIDENTE BOLSONARO, PRESIDENTE SEIXAS ENTREGA MINIATURAS FEITAS PELOS FUNCIONÁRIOS DA NUCLEP E REFORÇA IMPORTÂNCIA DA EMPRESA PARA O PAÍS

    O presidente da NUCLEP, CA (RM1) Carlos Henrique Silva Seixas, acompanhando o Ministro de Minas e Energia, AE (RM1) Bento Albuquerque, em agenda com o Presidente da República, Jair Bolsonaro, com a devida autorização do Ministro, aproveitou a oportunidade e entregou, em nome de todos os funcionários da NUCLEP, ao Presidente Bolsonaro, a caixa presente com miniaturas em aço inoxidável, soldadas à uma base de madeira, comalguns dos equipamentos mais estratégicos fabricados no piso fabril da empresa. O encontro, que aconteceu no Palácio do Planalto na tarde de hoje (10.6), proporcionou ao CA (RM1) Seixas falar não apenas das miniaturas, mas também sobre o novo momento da NUCLEP.
    “Esse presente, Presidente, foi feito pelos própriosfuncionários da NUCLEP para o Senhor. Estão representados aqui, nessas miniaturas, os segmentos em que atuamos no mercado. Representando o setor Nuclear está a miniatura do Acumulador de Angra 3- deste, fabricamos e já entregamos, oito unidadespara a Eletronuclear; já o setor de Defesa está representado pelo Submarino Classe Riachuelo, tipo Scorpène – fabricamos e já entregamos à Marinha do Brasil, os cascos resistentes dos quatro S-BR convencionais do PROSUB, ao passo que já nos preparamos para a construção da sessão de qualificação do SN-BR, o primeiro Submarino de Propulsão Nuclear do país; e, o setor de Energia, representado pela nossa mais nova e promissora empreitada, a Torre de Transmissão de Energia. Somos também muito atuantes no setor de Óleo e Gás, pioneiros no Brasil na construção de blocos semissubmersíveis para plataformas da Petrobrás.No início desse ano, inclusive, também entregamos à Petrobrás a Torre de DEA para Refinaria Gabriel Passos. A Torre de Transmissão de Energia tem um destaque maior pois representa a nossa recém inaugurada “Linha de Produção de Estruturas Metálicas para Torres de Transmissão de Energia e de Telecomunicações”. Espero que através dessa singela amostra o Senhor consiga vislumbrar a grandeza e capacidade da nossa NOVA NUCLEP. Digo “nova” por que acho que hoje chegamos a um patamar diferenciado, de resultado palpável e previsível, sendo conquistado dia após dia, commuito trabalho e empenho de todos”, disse o presidente Seixas.
    Desde que assumiu a presidência da NUCLEP, em 2017, o C.Alte. (RM1) Carlos Henrique Silva Seixas, realizou uma série de mudanças positivas para a empresa. Desde à renovação da sua Diretoria Executiva, passando pela redução de custo da folha de pagamentos em mais de 30%; pela inédita Certificação Nível 1 do IG/SEST, o mais alto indicador na avaliação da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais; e pelo ganho de R$175 milhões em novos contratos para a NUCLEP.
    Duas grandes referências da gestão de C.Alte. (RM1) Seixas, foram a ampliação no escopo de atuação da NUCLEP, com a Linha de Produção de Estruturas Metálicas para Torres de Transmissão, ação que a Diretoria Executiva estima permitir à empresa ficar menos dependente da União. E a outra é a revitalização do Terminal Marítimo Privativo da NUCLEP, um grande trunfo e diferencial da empresa.
    A obra que começou em março de 2020 e tem previsão de terminar em julho de 2021, tem como objetivo a recuperação de toda a instalação e o aumento da capacidade do Terminal. A revitalização do Terminal é hoje, o principal investimento do setor de Infraestrutura da NUCLEP. “Com o aumento da capacidade de escoamento, temos a expectativa de faturar cerca de R$1milhão com o Porto já em 2021, e assim de forma crescente, visto que nosso Terminal pode suportar até 1 mil toneladas, além de apresentar vantagem competitiva para movimentação intermodal (rodoviária, marítima e fluvial) ”, disse o presidente da empresa, C. Alte (RM1) Seixas.
    Há poucos dias, a NUCLEP realizou o primeiro embarque no seu Terminal Marítimo Privativo que está com sua obra de revitalização em fase final.  Segundo o diretor Comercial, Nicola Neto, o Terminal foi usado para o envio de quatro Vasos de Pressão que, juntos, pesavam 300 toneladas. “Unidoà localização estratégica e à nossa mão de obra especializada, o Terminal torna a empresa ainda mais diferenciada e capaz de atender diferentes demandas e clientes”, disse Nicola.
    Segundo o Diretor Administrativo da NUCLEP, C.Alte (RM1) Oscar Moreira Filho, todo equipamento e estrutura exposto à maresia precisa de cuidados e manutenção permanente. “Nosso Terminal Marítimo é estratégico e a recuperação é uma ação necessária para prolongar o seu tempo de vida útil”, afirmou.
     

  • DIRETORIA EXECUTIVA DA NUCLEP ANUNCIA NOVO DIRETOR INDUSTRIAL.

    Na última DDS, realizada na segunda-feira (7), no galpão principal da NUCLEP, foi anunciado a seguinte alteração na Diretoria Executiva da empresa:
    Nomeação do Diretor Industrial, CMG (EN) Alexandre Magalhães. 
    Que a passou a compor a Diretoria Executiva junto do presidente, C.Alte (RM1) Carlos Henrique Silva Seixas, o Diretor Administrativo, C.Alte (RM1) Oscar Moreira Filho e o Diretor Comercial, Nicola Mirto.
    O anúncio foi feito pelo presidente, C.Alte (RM1) Carlos Henrique Silva Seixas, que agradeceu e parabenizou o Diretor Comercial, Nicola Mirto que foi assumiu como Diretor Industrial interino desde a saída do CMG (EN) Wallace Affonso em dezembro de 2020. E desejou sorte ao novo Diretor, CMG (EN) Alexandre Magalhães, ressaltando a importância da colaboração de todos os funcionários para um trabalho de excelência.
    Outro assunto abordado pelo presidente durante a reunião foi a mudança no Plano de saúde da empresa. Ele esclareceu que essa mudança é uma determinação do Governo Federal para todas as estatais e a Diretoria Executiva tem buscado a melhor alternativa dentro do prazo.
    "Eu acho que o que estamos fazendo é muito importante. A construção da fábrica de torres, os equipamentos para Angra III, mostram que a empresa é importante estrategicamente e para defesa na hora que começamos a mexer no submarino de propulsão nuclear. Acredito que essas três vertentes são significativas e importantes para NUCLEP. Uma na área de energia, porque gera faturamento para empresa, outra com o submarino de proporção nuclear na área de defesa e a última com a usina de Angra III que seria uma parte estratégica da NUCLEP" apontou o presidente C.Alte (RM1) Carlos Henrique Silva Seixas sobre a nova NUCLEP.
    O evento terminou com um discurso de agradecimento do novo Diretor Industrial da NUCLEP, CMG (EN) Alexandre Magalhães.

     

  • GERÊNCIA GERAL DE COMPRAS E SERVIÇOS DA NUCLEP INVESTE NO APRIMORAMENTO E EXPERIÊNCIA NA MODALIDADE PREGÃO ELETRÔNICO

    Com o objetivo de aprimorar e investir na experiência de seus pregoeiros, o Gerente Geral de Compras e Serviços, CMG/IM Fernando de Jesus Coutinho,
    com apoio da Diretoria Administrativa da NUCLEP, conduzida pelo C. Alte (RM1) Oscar Moreira Filho, inscreveu, representando o setor,
    o Administrador do Setor de Licitações da Gerência de Contratos da NUCLEP, Fábio Hyer de Lima Rangel, no treinamento técnico do Hospital Naval Marcílio Dias (HNMD).
     
    O treinamento, que aconteceu no último dia 2/6, focou em aprimorar e ampliar o conhecimento das condições internas necessárias ao uso do Sistema ‘comprasnet 4.0’,
    conferindo às licitações da NUCLEP um salto de modernização, aproveitando todas as funcionalidades disponíveis do referido sistema.
     
    Aproveitamos o registro para agradecer ao CF (IM) Hermes, que recepcionou o Administrador da NUCLEP, Fábio Hyer, e
    aos responsáveis pelo treinamento, os CC (S) Moyses Mateus e CT (IM) Rafael Vargas, representantes da Divisão de Aquisição e Contratos do HNMD.

  • Amazul e NUCLEP debatem avanço nas obras do Bloco 40.

    Em visita hoje (26) à sede da AMAZUL, o presidente da NUCLEP, C.Alte (RM1) Carlos Henrique Silva Seixas, foi recebido pelo diretor-presidente VA (RM1) Antonio Carlos Soares Guerreiro, a quem atualizou sobre o andamento das obras do chamado Bloco 40 do Labgene – Laboratório de Geração de Energia Nucleoelétrica, protótipo em terra e em escala real dos sistemas de propulsão que serão instalados no futuro submarino de propulsão nuclear (SN-BR) Almirante Álvaro Alberto.
    Em outubro de 2019, a AMAZUL contratou a NUCLEP para a fabricação, montagem e fornecimento do vaso (cilindro) e partes internas de contenção onde será montado o reator, além do tanque de blindagem primária. Estruturas essas que compõem o Bloco 40.

  • Registro da visita realizada nos últimos dias, pelo presidente da NUCLEP, C.Alte (RM1) Carlos Henrique Silva Seixas, ao Instituto de Pesquisas da Marinha (IPqM), na Ilha do Governador.

    O C.Alte (RM1) Seixas foi recebido pelo Diretor do Instituto, CMG / EN Wallace Affonso Alves, que o apresentou e atualizou sobre os avanços nos estudos desenvolvidos pela Marinha nas áreas de armamento, bioquímica, oceanografia física, eletrônica, química e acústica submarina.

    “Affonso foi nosso Diretor Industrial até dezembro de 2020 e vê-lo assumir a supervisão das pesquisas de novas tecnologias à Marinha nos reforça a certeza da contribuição que a NUCLEP teve para sua carreira. O IPqM tem produto ímpar ao desenvolvimento científico, tecnológico e econômico do Brasil ”disse o CA (RM1) Seixas.

  • NUCLEP NA MÍDIA: Marinha avança no projeto de construção do submarino nuclear.

    Reprodução: Veja
    A Nuclep, estatal de equipamentos pesados ligada ao ministério de Minas e Energia, planeja fechar nos próximos dois meses o contrato para a produção do casco externo do submarino de propulsão nuclear da Marinha. A estimativa é que a obra custe em torno de 200 milhões de reais. 
    O contrato, a ser firmado junto à Marinha e ao estaleiro ICN, que constrói a embarcação, marcará o início dos trabalhos na estrutura do que será o primeiro submarino do tipo do Brasil, fruto de acordo de transferência de tecnologia firmado em 2012 com a França, na iniciativa batizada de Prosub.
    A expectativa é que o submarino esteja pronto só em 2029. Atualmente, o projeto está na fase de construção do protótipo em tamanho real onde a tecnologia será testada ainda em terra. O casco será o primeiro componente comprado que integrará a estrutura final da embarcação. 
     
     

  • NUCLEP vai comemorar 41 anos neste sábado, colhendo frutos de sua diversificação nos negócios

    Reprodução: PetroNotícias
    O final de semana será especial para a Nuclep. A empresa completará no sábado (8) o seu 41º aniversário – uma data importante que coincide com um momento particularmente animador para a caldeiraria. Há alguns anos, a empresa decidiu embarcar em uma jornada de diversificação de negócios e hoje já colhe os frutos dessa estratégia, mas sem perder o foco em seu core bussiness (nuclear e defesa).
    Recentemente, a companhia entregou os dois últimos acumuladores para a usina de Angra 3, de um total de oito. Os equipamentos são tanques com 14,2 metros de comprimento e 22 toneladas, que são utilizados no resfriamento do sistema primário do reator nuclear. Olhando para o futuro, a empresa está em negociações com a Eletronuclear para poder participar das atividades de instalação de alguns dos equipamentos de Angra 3. A Nuclep tem ainda o interesse de participar da construção do Reator Multipropósito Brasileiro (RMB), empreendimento cuja execução está sob a responsabilidade da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN).
    Como parte de seu plano de diversificação de negócios, a caldeiraria inaugurou recentemente sua linha de produção de torres de transmissão. A entrada no novo mercado visa oferecer uma receita financeira fixa ao longo do ano. De acordo com o presidente da empresa, o contra-almirante Carlos Seixas, a expectativa de faturamento para 2021 é de R$ 140 milhões. Esse valor aumentará para mais de R$ 200 milhões em 2022. Em 2023, a Nuclep prevê cerca de R$ 400 milhões de faturamento. Com a nova linha de produção, a companhia poderá fabricar, no auge, até 35.000 toneladas de estruturas metálicas por ano. Esse volume possibilitará a instalação anual de 1.500 km de linhas de transmissão no país.
    Na parte de defesa, a Nuclep atua na construção do chamado Bloco 40, que é o  reator do Labgene – protótipo em tamanho real do que será o primeiro Submarino de Propulsão Nuclear do Brasil. Com o Labgene, será possível simular em condições seguras os diversos sistemas eletrônicos integrados ao reator, antes de sua instalação no submarino com propulsão nuclear. Além disso, como se sabe, a Nuclep tem um histórico recente bem sucedido de entrega de cascos de quatros submarinos Scorpène para a Marinha do Brasil: Riachuelo, Humaitá, Tonelero e Angostura.
    O presidente da Nuclep gravou uma mensagem para todos os colaboradores da empresa. Assista:
    https://www.youtube.com/watch?v=VlIzH5jCZaA

  • Deputado federal Christino Áureo se surpreende com o crescimento da NUCLEP.

    A NUCLEP recebeu na última sexta-feira (30), a visita do Deputado Federal Christino Áureo; da Superintendente Federal de Agricultura no Rio, Stella Romanos, e da Chefe da Assessoria Parlamentar do Gabinete do Ministério de Minas e Energia (MME), Rosa Maria School.

    A comitiva, que foi recebida pelo presidente da NUCLEP, C. Alte (RM1) Carlos Henrique Silva Seixas, e pelo Diretor Comercial, Nicola Mirto, iniciou a visita assistindo ao novo vídeo institucional da empresa, onde conheceram melhor os projetos, qualificações e capacidade da NUCLEP, e como ela têm se desenvolvido positivamente nos últimos anos.

    Na sequência, o grupo conheceu a nova Fábrica de Linha de Produção de Torres de Transmissão de Energia e, também o Galpão Principal, onde se surpreenderam com a grandiosidade dos principais projetos desenvolvidos pela empresa, como a fabricação do Bloco 40 para o CTMSP e os equipamentos nucleares estratégicos para Angra 3.

    “Conheci a NUCLEP durante a construção dos blocos para as plataformas semi submersíveis, mas é notória a sua evolução desde então. Espero poder contribuir com meu trabalho no Congresso para que a empresa possa se desenvolver cada dia mais”, finalizou o parlamentar.

  • Feliz Dia do Trabalho

    A NUCLEP parabeniza a todos os trabalhadores do Brasil, principalmente aos seus, por contribuírem para o desenvolvimento e prosperidade do nosso país.

  • NUCLEP NA MÍDIA: NUCLEP participa da ampliação tecnológica do Ipen

    Reprodução: O dia
    ITAGUAÍ - Com experiência no setor nuclear e capacidade fabril, a Nuclebrás Equipamentos Pesados (Nuclep) – indústria estatal que atua no bairro de Brisamar, Itaguaí - concluiu a fabricação da Caixa de Blindagem Radiológica para a Unidade Móvel de Irradiação com Acelerador Industrial de Elétrons, projetado pelo Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen).
    A unidade móvel tem várias aplicações e conta com um acelerador de feixe de elétrons responsável por tratar efluentes industriais para fins de reutilização, o que viabiliza uma alternativa limpa e tecnológica para as empresas. Os requisitos de segurança são garantidos pela Agência Internacional de Energia Atômica (Aiea), pela BSS Serviços de Blindagem e pela CNEN - autarquia federal do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações a qual o Ipen está vinculado.
    Com o laboratório móvel, que será usado por profissionais da Ipen para realizar treinamentos em empresas de todo país, é possível ampliar a capacidade nacional de tratamento de efluentes, o que gera benefícios tecnológicos e econômicos em relação às técnicas convencionais.
    A blindagem Radiológica fabricada pela Nuclep pesa mais de 15 toneladas e tem como objetivo fornecer a proteção adequada durante as operações, promovendo a segurança dos trabalhadores e do ambiente.
    A Unidade Móvel de Irradiação com Acelerador Industrial de Elétrons é importante na aplicação de atividades de pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias e prestações de serviços em escalas laboratoriais e industriais.

Páginas